Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

Major-general médico Carlos Alberto Maia Dias

23.07.12 | João Manuel Maia Alves

 

 

Carlos Alberto Maia Dias nasceu em 10 de janeiro de 1946, na Quinta de S. António, no Tojal, em Mouriscas. Foram seus pais José Dias Lourenço, conhecido por José Dias, e Martinha da Assunção Maia Valente. Tanto por parte da mãe como pela parte do pai, descende de António Ferreira Santana, nascido em 1789, em Alagoa, concelho de Portalegre, e de Luísa Lopes, nascida por volta de 1801, na Cabeça de Alconde, da freguesia de S. Vicente, do concelho de Abrantes. Deste casal descendem os Santanas com origem em Mouriscas.

Completada a escola primária em Mouriscas, ingressou no extinto Colégio Infante de Sagres, da mesma localidade, e aí completou o antigo 5.º ano do liceu. Até ao fim dos seus estudos em Mouriscas viveu com os avós maternos, Maria José Lopes Maia e António Cordeiro Valente, que residiam na Quinta de S. António, a que muitos chamam simplesmente a Quinta, para onde casaram, em 11 de outubro de 1820, António Ferreira Santana e Luísa Lopes, o casal que deu origem à referida família Santana. Passava as férias com os pais, em sítios variados do país, por motivo de o pai ser ferroviário.

Seguiram-se o 6.º e o 7.º do liceu, em Santarém, onde o pai estava colocado, com vista a frequentar o curso de medicina, um sonho antigo. Diga-se que  desde o terceiro quartel do século XIX até à atualidade tem havido médicos na família Santana, um dos quais, Carlos Alberto Raposo Santana Maia, atingiu o cargo de bastonário da Ordem dos Médicos e é filho do também médico mourisquense João Santana Maia, tio e padrinho de Carlos Maia Dias. O primeiro desses médicos da família Santana também nasceu na Quinta de S. António. Chamava-se José Ferreira Santana e nasceu em 4 de abril de 1845, mais de um século antes de Carlos Maia Dias.

Carlos Maia Dias fez o primeiro ano de medicina em Lisboa e o segundo e terceiro em Coimbra, terminando o curso em Lisboa.

Frequentava o terceiro ano do seu curso quando foi lançado um concurso para estudantes de medicina que quisessem ingressar na Força Aérea. Tendo sido aceite, recebeu nas férias do terceiro para o quarto ano instrução militar em Tancos, terminada a qual passou a aspirante a oficial. Assim ingressou nas Forças Armadas, totalmente entregue ao estudo de medicina até terminar o curso. Em 1970 acabou o curso e passou a fazer parte do quadro permanente, como médico da Força Aérea Portuguesa. Fez em Paris uma especialização de medicina aeronáutica, ramo da medicina vocacionada para a seleção e acompanhamento dos pilotos-aviadores civis e militares. A seguir, foi  mobilizado para Moçambique, já como capitão médico.

De volta a Portugal, já depois do 25 de Abril, passou a exercer medicina aeronáutica no Hospital da Força Aérea e no Cento de Medicina Aeronáutica. Especializou-se, entretanto, em estomatologia, que passou a exercer conjuntamente com medicina aeronáutica.

Em fins de 1980 foi para os Estados Unidos para frequentar o curso avançado de medicina aeronáutica e foi convidado para o cargo de subdiretor do Centro de Medicina Aeronáutica. Já no posto de coronel, passou a diretor do Centro de Medicina Aeronáutica.

Fez o curso para oficial general na Academia da Força Aérea Portuguesa,em Sintra. Promovido a major-general, foi nomeado diretor do Serviço de Saúde da Força Aérea Portuguesa, cargo que desempenhou até à sua reforma, em 2002.

No desempenho das suas funções militares visitou numerosos países, como os Estados Unidos, o Brasil, a Argentina e o México. Participou em várias operações de evacuação, nomeadamente operações de evacuação em 1976 de civis timorenses, a partir da Indonésia, que tinha invadido esse antigo território português.

Foi o representante português da medicina dentária na NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

Depois da sua vinda de Moçambique, em 1975, Carlos Maia Dias exerceu estomatologia como atividade privada, paralelamente às suas funções militares.

Começou a colaborar com a Caixa Geral de Depósitos em 1983, como médico de estomatologia dos Serviços Sociais dessa instituição. Depois da sua reforma da Força Aérea trabalhou a tempo inteiro nos Serviços Sociais da Caixa Geral de Depósitos até se reformar desta atividade, de que foi coordenador dos serviços de estomatologia.

Atualmente é coordenador do Centro de Medicina Aeronáutica do INAC (Instituto Nacional de Aviação Civil), na Clínica CUF-Alvalade.

Casou em 1979 com Maria de Fátima Nogueira, professora com funções de direção no Colégio Valsassina,em Lisboa. O casal tem dois filhos – um médico e o outro licenciado em Ciências da Comunicação e profissional da área de publicidade e marketing. É irmão de Maria José Maia Dias, professora e farmacêutica, e cunhado do Coronel Ramiro Pita Baptista.

Tem como hóbis a caça, o tiro e atividades marítimas.

Carlos Alberto Maia Dias continuou sempre muito ligado a Mouriscas, que visita quase todos os fins de semana. Em linhas gerais, este é o seu percurso de vida, que merece ser conhecido dos seus conterrâneos.

* O administrador deste blogue agradece a Carlos Alberto Maia Dias as informações fornecidas para redação deste artigo.

 

  

 

1 comentário

Comentar post