Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

Maria do Rosário, Uma Luz que Brilhou entre Nós

27.12.08 | João Manuel Maia Alves

m_rosario.jpg

 

Maria do Rosário Gonçalves Bento nasceu em Mouriscas, no dia 13 de Maio de 1937. Foram seus pais Maria do Rosário Gonçalves e Joaquim Alves Bento. Pela parte do pai, descendia em quinto grau de António Ferreira Santana, nascido em 1789 em Alagoa, concelho de Portalegre, e de Luísa Lopes, nascida por folta de 1801, na Cabeça de Alconde, da freguesia de S. Vicente, do concelho de Abrantes. Deste casal descendem os “Santanas com origem em Mouriscas”. Ainda por parte do pai, pertencia à família dos Alves Bento. A família Alves Bento tem um tronco comum em José Alves e Teresa Pires, que casaram em Mouriscas, provavelmente no Pinheiro. Tiveram dois filhos: o Francisco e o Luís. Talvez para se distinguirem dos muitos Alves que existiam e talvez por motivos religiosos, para se distinguirem dos  Alves não frequentavam a igreja, passaram a chamar-se Francisco Alves Bento e Luís Alves Bento.

Concluída a instrução primária, Maria do Rosário passou a frequentar o extinto e saudoso Colégio Infante de Sagres, que atraiu a Mouriscas alunos de muitos lugares de Portugal. Neste estabelecimento de ensino concluiu em 1954 o antigo 5.º ano dos liceus, após o que rumou à cidade de Coimbra, onde na respectiva Escola do Magistério Primário, obteve o Diploma de Professora do Ensino Primário. Desde cedo Maria do Rosário se mostrou uma estudante inteligente e aplicada.

Obtido o diploma de professora primária, Maria do Rosário iria dar início a uma longa carreira docente. Diga-se que a sua inteligência lhe teria permitido ter sucesso noutras áreas, mas a sua carreira no ensino foi exercida duma forma inexcedivelmente exemplar.

Maria do Rosário exerceu o magistério durante 41 anos, em Freixianda, concelho de Vila Nova de Ourém, na Atalaia, concelho de Gavião, no Souto e em Mouriscas, no concelho de Abrantes. Também deu aulas no Colégio Infante de Sagres.

Em Mouriscas começou por dar aulas nas escolas das partes sul e norte, respectivamente, Engarnais Fundeiros e Entresserras, escolas hoje desactivadas. Em Dezembro de 1964, casou com João Rosa Matos Sécio, natural de Atalaia, do concelho do Gavião, que na altura também era professor do ensino primário e viria a tornar-se economista. Moravam então na parte sul da freguesia. Passaram depois a leccionar na escola principal de Mouriscas. Em 1965 nasceu a sua filha, Rosa Maria Bento Sécio Raposeiro, que viria a licenciar-se em Direito.

Em Maria do Rosário estavam presentes uma boa preparação pedagógica, muita experiência e um apurado gosto pelo ensino. Acrescia a tudo isso uma grande bondade e uma viva inteligência. Não admira, por isso, que Maria do Rosário fosse uma excelente professora, para benefício de gerações de alunos.

Foi membro da Direcção da ACATIM (Associação Comunitária para a Terceira Idade de Mouriscas). Pertencia à Vida Ascendente, Movimento Cristão de Reformados, de âmbito nacional, sendo Presidente do Grupo da freguesia de Mouriscas. Integrava a Associação dos Professores Aposentados do Concelho de Abrantes.

Era Maria do Rosário senhora duma personalidade muito afável que parecia irradiar luz e bondade. O seu passamento no verão passado não faz esquecer essa aura luminosa, o farol de luz que a sua vida constituiu. É assim que a queremos recordar – como fonte de poderosa luz que a tantos tocou e cativou!

Março de 2009