Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

João Manuel Grossinho Sebastião

09.04.08 | João Manuel Maia Alves

J_Sebastiao.JPG

João Manuel Grossinho Sebastião é um sociólogo mourisquense com um percurso pessoal, profissional e académico que merece ser posto em relevo.  Conhecido por João Sebastião, assim será referido no resto deste artigo, que  pretende dar uma ideia da sua história, de quem é e do que tem feito. Antes vejamos o que significam as palavras sociologia e sociólogo

Um dicionário de sociologia que pode ser consultado pela Internet define sociologia como “estudo científico das relações sociais, das formas de associação, destacando-se os caracteres gerais comuns a todas as classes de fenómenos sociais, fenómenos que se produzem nas relações de grupos entre seres humanos.”  A sociologia estuda os fenómenos sociais, isto é os fenómenos que ocorrem quando vários indivíduos se encontram em grupos de tamanhos diversos. Não estuda o homem isoladamente mas como membro dum ou mais grupos.

Sociólogo é o indivíduo que se dedica à sociologia, o que pode fazer de várias maneiras. Pode, por exemplo, escrever livros sobre o assunto ou ensiná-lo ou dedicar-se ao estudo dum problema como as razões da iliteracia (dantes dizia-se analfabetismo) num certo grupo social.

João Sebastião nasceu em Mouriscas, no lugar de S. Simão, filho de Abílio Sebastião e Mafalda Alves Grossinho. O pai trabalhou muitos anos na TAP, tendo sido um dos pioneiros dos computadores, no início máquinas raras e enormes que só poucas pessoas dominavam depois de árduo estudo e trabalho. Era mais conhecido por Abílio Ceifão. Ceifão é a curiosa alcunha duma família colectivamente conhecida como os Ceifões

No Cacém, cidade do concelho de Sintra, onde João Sebastião tem passado a maior parte da sua vida, frequentou o ensino primário. Os estudos secundários foram realizados na Amadora e em Sintra, tendo concluído o antigo 7.º ano do liceu. Seguidamente rumou a Castelo Branco para frequentar a Escola do Magistério Primário. Neste estabelecimento de ensino concluiu o Curso do Magistério Primário em 1980.  

Foi professor de ensino primário, entretanto rebaptizado 1.º Ciclo do Ensino Básico, entre 1980 e 1987. Deu aulas na Ajuda, em Lisboa, no Cacém e na Morelena, localidade do concelho de Sintra que José Saramago cita no livro Memorial do Convento. João Sebastião conserva boas recordações desses anos.

Um pouco por acaso veio a interessar-se pela Sociologia. Mal imaginava João Sebastião quanto isso iria mudar a sua vida. Matriculou-se no ISCTE (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa), onde completou em 1988 a licenciatura em Sociologia. Uma nova carreira docente e académica se iria abrir na vida de João Sebastião. 

 A nova fase da vida de João Sebastião iria também transformá-lo numa figura mediática. João Sebastião  é frequentemente solicitado pelos meios de comunicação social para dar a sua opinião de sociólogo sobre temas de momento. Assim, participou  no conhecido programa de Manuel Luís Goucha, da TVI, de 25 de Março de 2008 para falar dum tema do momento – a violência nas escolas, matéria que se tornou assunto das conversas de quase toda a gente depois de a televisão mostrar vezes sem conta a luta por um telemóvel entre uma professora e uma aluna numa escola do Porto. Volvidos seis dias, João Manuel Grossinho Sebastião esteve presente no conhecido programa da RTP Prós e Contras na qualidade de Coordenador do Observatório de Segurança Escolar, cargo para que foi nomeado em 2005 pelo Ministério da Educação.

No período lectivo de 1988/89 João Sebastião foi professor de Sociologia da Educação na Escola de Enfermagem Pós-Básica de Lisboa.  

Em 1989 desempenhou o cargo de formador da Direcção Geral do Ensino Básico e Secundário no âmbito do programa de formação Apoio à escolarização de crianças ciganas e cabo-verdianas, na âmbito do curso O Processo Educativo na Dimensão Intercultural das Escolas do 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Em Janeiro de 1989 tornou-se Assistente na Escola Superior de Educação de Santarém, onde lecciona desde então as cadeiras da área de Sociologia nos cursos de formação inicial, formação em serviço e de especialização (CESE). A partir de 1996, após concurso público, passa à categoria de Professor-Adjunto, categoria que ocupa hoje.

Em 1995 completou um Mestrado em Sociologia Urbana e Rural pelo ISCTE, com a qualificação de Muito Bom por Unanimidade A tese defendida foi Modos de Vida Marginais : o caso das crianças da rua de Lisboa.

Em 2007, fez o no ISCTE o seu Doutoramento em Sociologia, com a qualificação de Aprovado com Distinção e Louvor por Unanimidade. A tese foi Democratização do ensino, desigualdades sociais e trajectórias escolares.

A carreira de sociólogo de João Sebastião transcende muito a sua actividade de professor como podemos verificar a seguir. Comecemos pelas suas publicações.

A lista de publicações assinadas por João Sebastião é demasiado extensa para receber a devida atenção num curto artigo. Limitamo-nos, por isso, a referir alguns títulos:

  • O pensamento pedagógico na 1.ª República, em colaboração com Teresa Seabra
  • Viver à margem: as crianças da rua em Lisboa
  • Renunciar à Escola: O Abandono Escolar no Ensino Básico
  • Modos de Vida Marginais: O Caso das Crianças da Rua de Lisboa
  • Desvio e marginalidade infantil e juvenil
  • Crianças da rua, marginalidade e sobrevivência
  • Relações dos jovens com a literacia: contextos de socialização em meio operário
  • Os dilemas da escolaridade. Universalização, diversidade e inovação
  • Escolaridade obrigatória e desenvolvimento local em meio rural
  • Números, contas, problemas: a literacia quantitativa no quotidiano, em colaboração com Patrícia Ávila
  • Dinâmicas de Mudança numa Escola Secundária, em colaboração com Teresa Seabra e Leonor Teixeira
  • A produção da violência na escola, em colaboração com Teresa Seabra, Mariana Gaio Alves, David Tavares, José Garrucho Martins e Maria João Portas
  • Renunciar à escola: o abandono escolar na escolaridade obrigatória
  • A rua como contexto de redefinição identitária
  • A violência na escola em Portugal, com Mariana Gaio Alves e Joana Campos de Sousa
  • As políticas de combate à violência na escola, com Joana Campos
  • Cidades e cidadanias: que papel para a escola?
  • Escola e Violência: Conceitos, Políticas, Quotidianos, com Mariana Gaio Alves, Joana Campos e Patrícia Amaral
  • Modelos de ensino e tendências de mudança no ensino superior

Em vários outras áreas tem tido João Sebastião participações destacadas. Na impossibilidade de as referir todas com a profundidade que mereciam, ficamo-nos pela enumeração sumária de algumas:

  • Coordenador do Observatório de Segurança Escolar, cargo para que foi nomeado em 2005
  • Perito nomeado por várias instâncias para integrar grupos de trabalho
  • Audições na Assembleia da República, uma delas na qualidade de  Coordenador do Observatório de Segurança Escolar
  • Participante em várias pesquisas e projectos, como, por exemplo, o da Caracterização Socio-Económica do Concelho de Cascais, no qual foi responsável pela área da educação
  • Apresentação de comunicações em vários encontros, no país e no estrangeiro.

Agosto de 2008

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.