Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

Otília Rosa Pascoal lança livro

30.01.08 | João Manuel Maia Alves
o_rosa_pascoal.JPGNo passado verão a mourisquense Otília Rosa Pascoal lançou o livro “Recordações e Tradições”.Damos os nossos parabéns a Otília Rosa Pascoal. Quem dera que o seu exemplo fosse seguido. Há muita gente em Mouriscas com histórias interessantes ou com trabalhos em verso ou prosa que mereciam ser conhecidos. Para quem não se queira aventurar a publicar em livro temos hoje esse poderoso meio que é a Internet.Com a devida vénia transcrevemos a contracapa do livro para dar a conhecer um pouco da autora e da obra.Nasceu em 1931 num ambiente de pouca cultura. Teve apenas três anos de escolaridade, que bem contados seriam bem menos, pois morava a três quilómetros da escola e quando dava as nove horas na torre da igreja voltava para trás para se livrar de uma ou mais reguadas que a professora não perdoava. E foi esse o medo de continuar na escola. Seu pai não sabia ler mas a sua mãe sabia, pois andou na costura, e a mestra, até ao meio-dia ensinava a ler, da parte da tarde era a costura. A mãe dizia que a prenda melhor que se podia dar aos filhos era mandá-los à escola para aprender a ler e a escrever. Ela não tinha livros, os livros dela eram os do irmão, mais velho, mas quando ouvia alguma poesia ou quadra não deixava de a ler. Mesmo em pequena gostava de fazer poesia. Houve tempo em que fazia poemas para um grupo de teatro amador, consolando assim a sua boa vontade. Sempre que lhe apetecia fazia uma quadra ou um poema que ia guardando numa gaveta, e foi assim que começou a fazer um livro com todas estas suas memórias, até que estava um pequeno livro redigido, mas pensando ser só para ela, facultando a sua leitura a amigos e família, no entanto, quando o deu a ler todos se interessaram em adquirir um exemplar.Acaba aqui a transcrição. É altura de sabermos um pouco do conteúdo do livro de Otília Rosa Pascoal. Fica para o próximo artigo.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.