Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

Falar mourisquense (11)

24.04.07 | João Manuel Maia Alves
CHIA – Fanfarronice, lábia, conversa. (Ele tem muita chia; gostava era de o ver a trabalhar.)

DAR COM (ALGUMA COISA) EM BARREIRA – Resolver, solucionar. (É complicada esta avaria. Não sei se conseguiremos dar com isto em barreira.)

CARTACEGO – Que não consegue ver qualquer coisa. (Oh cartacego, não vês a tesoura mesmo debaixo das mãos?)

FOXE – Lanterna eléctrica. (Noutros tempos, antes da iluminação pública, um foxe era muito útil para andar de noite em Mouriscas. Antigamente uma das ambições dos miúdos era possuírem um foxe.)

NÃO DAR CARREIRA DIREITA – Não se portar bem. (Ele não dá carreira direita. Trabalha pouco e gasta tudo em bebida.)

DAR À CRENA – Fracassar. (Já se meteu em vários negócios mas tudo tem dado à crena.)

FIM DO MUNDO – Situação com muito mais gente ou movimento do que é habitual. (Quando a televisão chegou a Mouriscas, toda a gente queria ir ao Café do Jorge ver a “máquina que representava”. Foi o fim do mundo!)

DESACOMODO – O mesmo que FIM DO MUNDO com o significado anterior. (Quando a Yola veio às festas do verão, mal cabiam no Largo das Ferrarias todas as pessoas que queriam ver actuar essa bailarina espanhola. Era um desacomodo nas Ferrarias!)

BOCHA – Palavra usada para chamar um cão. (Bocha, bocha, bocha! Anda cá bocha.) Cão, falando com crianças. (Faz um festinha ao bocha.)

TESTÓ – Palavra usada para enxotar um cão. (Testó! Sai daqui cão!). Também usada para indicar rejeição duma proposta ou atitude. Equivalente mais ou menos a “dar para trás”. Aliás, muitas vezes a palavra “testó” usada neste sentido é acompanhada dum movimento para trás da mão. (Queria que lhe emprestasse dinheiro e pagava só para o ano. Testó!)

ATÉ DEPOIS – Até uma data posterior, até mais ver, até à próxima, adeus. (Estimei vê-lo com saúde. Até depois.)

ENGARNAIS – Muita gente da parte de cima de Mouriscas designa por Engarnais a parte de baixo. Em geral as pessoas da parte de baixo chamam Engarnais ao lugar de Engarnais Cimeiros. Na parte de baixo, além dos Engarnais Cimeiros existem os Engarnais Fundeiros. Complicado? Coisas duma terra extensa e dispersa por muitos lugares.

SER MAL-AMIGO (A) DE – Não gostar de, não apreciar. (Sou mal-amiga de comeres de carne.)

SER COMO O CÃO DO MANEL DA ESTALAGEM, SER PIOR QUE O CÃO DO MANEL DA ESTALAGEM – Ser corrécio, vadio. Contava-se que o cão do Manel da Estalagem foi visto na mesma noite em Mouriscas e em Castelo Branco. (Ele não faltava em nenhum baile ou festa; era pior que o cão do Manel da Estalagem.)

ESQUENTAR – Não dar confiança a, manter afastado (a), enxotar. (Esquenta essa fulana; só cá vem para a calhandrice.)


João Manuel Maia Alves