Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

Falar mourisquense (5)

29.03.06 | João Manuel Maia Alves
Vejamos mais alguns termos de Mouriscas.

PANTAR – Pôr. (No meu tempo trabalhava-se desde que o sol nascia até que se pantava.)

FULESTRIA – Proeza. Usa-se ironicamente, isto é para diminuir o valor do que alguém fez ou conseguiu. (Que grande fulestria ele ter comprado a pronto aquela casa grande! O pai deixou-o cheio de dinheiro.)

MAL DE CANGA, PIOR DE ARADO – Indica que uma situação não é melhor que outra anterior. (Estava mal sozinha. Em casa dos filhos a doença piorou. Mal de canga, pior de arado.)

BOTICA – Farmácia, medicamento. Estes significados estão hoje esquecidos. (Ele tem andado a tomar botica para a doença. Comprei na botica um remédio para a tosse.)

GALHOUFEIRO – Uso semelhante ao de galhardo em frases em que se comenta uma situação cómica ou crítica. (O carro está atolado e ninguém o consegue puxar. Ela está galhoufeira!)

LAMBÃO, LAMBOEIRA – Preguiçoso. Preguiça. (Nunca fez nada. É um lambão. Em vez de cuidar das fazendas que lhe deixaram entregou-se à lamboeira.)

LANZEIRA – Preguiça. (Estou com uma lanzeira tão grande que nem me apetece levantar-me.)

JUM – Jejum. (Tenho que ir em jum fazer umas análises.)

DESENJUAR-SE – Tomar a primeira refeição do dia. (Os homens vão desenjuar-se e depois começam a trabalhar.)

CAGARRACHO – Pequeno. (É um cagarracho. Não sai ao pai, que é um homenzarrão.)

BUSÕES – Superstições. Crenças sem base. (Dizem que faz mal ir à horta em certo dia da Páscoa. Acho que isso são busões.)

SEDE – A sede do Grupo Desportivo e Recreativo “Os Esparteiros”. (Quando ele era novo não perdia nenhum baile na Sede.)

CASEIRÃO - Casarão. (Ele vive só num casarão onde já moraram quinze pessoas.)

S. TOMÉ – Em tempos os mortos eram transportados em Mouriscas numa carreta de tracção humana. Foi usada a primeira vez no funeral de Tomé de Matos Paulo, da Bica. Por isso, lhe puseram o nome de S. Tomé.


João Manuel Maia Alves