Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

Paulo Lourenço – trabalho, mérito e sucesso (cont.)

17.10.12 | João Manuel Maia Alves

Paulo Lourenço participou ativamente nas negociações entre a UEFA, o Governo português e a Federação Portuguesa de Futebol para a constituição da Sociedade Euro 2004 SA, que iria organizar o torneio realizado em Portugal. Além disso era especialista em direito fiscal, tendo estado ligado à elaboração da lei sobre a fiscalidade das sociedades anónimas desportivas (SAD' s), dispondo por isso de conhecimentos de que a Sociedade Euro SA necessitaria dado o seu regime especial em matéria fiscal. Aliás, esteve ligado a grande parte da legislação feita por ocasião do Euro 2004. A nomeação de Paulo Lourenço para administrador da Sociedade Euro 2004 surge, assim, como natural.

Depois do Euro 2004, Paulo Lourenço continuou ligado ao desporto-rei, passando em 2005 a assessor jurídico da Federação Portuguesa de Futebol, coordenando também as áreas administrativa e financeira.

Foi como assessor jurídico da Federação Portuguesa de Futebol que Paulo Lourenço em 2007 acompanhou Luiz Felipe Scolari, selecionador de Portugal, à sede da UEFA, na Suíça. Num jogo com a Sérvia, Scolari teve uma intervenção junto do jogador sérvio Dragutinovic que lhe valeu uma suspensão de quatro jogos. Essa deslocação de Paulo Lourenço mereceu na altura ampla divulgação nos meios de comunicação. Paulo Lourenço tornou-se muito amigo do brasileiro Scolari, mantendo os dois até aos dias de hoje frequente correspondência.

Em fevereiro de 2012, Paulo Lourenço teve uma reunião na sede da Federação Portuguesa de Futebol com uma delegação brasileira composta pelo vice-ministro do Desporto do Brasil, Luís Fernandes, e pelo Diretor de Excelência e Promoção de Eventos do Ministério do Desporto, Marco Aurélio Klein. A delegação brasileira estava interessada em recolher informações sobre a organização do Euro 2004, já que o Brasil vai receber o Mundial de Futebol de 2014.

 

<

Paulo Lourenço e a delegação brasileira

 

Em declarações ao site da Federação, Paulo Lourenço disse que “esta reunião foi solicitada para darmos a conhecer a nossa experiência e as dificuldades que encontrámos na organização do Euro 2004. Demos conta do modelo organizativo adotado - a criação de uma sociedade comercial em conjunto com a UEFA. Falámos de questões relacionadas com a segurança - as especificidades e as cautelas que é necessário ter nesta área -, de questões relacionadas com o marketing e com a defesa que é preciso fazer aos patrocinadores, de questões legais - da legislação específica que tem de ser criada para o evento -, da articulação que tem de existir entre a organização do Campeonato do Mundo e as cidades anfitriãs. Falámos ainda das questões relacionadas com as infraestruturas – a construção de estádios, de estradas e restantes vias de comunicação: aeroportos, etc.”

Chegados aqui apetece dizer duas coisas. A primeira é que, felizmente, depois do Euro 2004 o cabedal de experiência e conhecimentos acumulados por Paulo Lourenço foi aproveitado em novos projetos ligados ao futebol. A segunda para dizer que a nomeação, em agosto do corrente ano, de Paulo Lourenço como secretário-geral da Federação Portuguesa de Futebol aparece como consequência lógica dum percurso.

Como secretário-geral da Federação Portuguesa de Futebol, Paulo Lourenço sucedeu a Ângelo Brou, um homem com um passado de dirigente desportivo e de diretor-geral de importante empresa do ramo farmacêutico e seu colega no Conselho de Administração da Sociedade Euro 2004, sendo na altura também um dos vice-presidentes da Federação Portuguesa de Futebol. Isto mostra a importância do cargo de secretário-geral da Federação Portuguesa de Futebol e o relevo que merece. Mas o que é a FPP e quais as funções do seu secretário-geral?

A Federação Portuguesa de Futebol, fundada em 1914, tem, de acordo com o seu site, “ por principal objeto promover, regulamentar e dirigir, a nível nacional, o ensino e a prática do futebol, em todas as suas variantes e competições.” O futsal e o futebol de praia são variantes do futebol. A Federação Portuguesa de Futebol tem uma diretora para o futebol feminino, que sem a projeção do praticado por homens, tem torneios a nível nacional e internacional. A Federação Portuguesa de Futebol funciona num moderno edifício de doze andares, num local muito central da capital. Tem numerosos serviços e dezenas de funcionários.

Na cúpula da Federação Portuguesa de Futebol encontramos a Direção, com um presidente e vários vice-presidentes, escolhidos pelos clubes em eleições. De harmonia com o site da Federação Portuguesa de Futebol, “compete ao Secretário-Geral da Federação Portuguesa de Futebol exercer as funções administrativas que lhe sejam atribuídas pela Direção e assegurar, sob a orientação do Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, os contactos com os organismos internacionais que tutelam o futebol”. Note-se que o secretário-geral participa nas reuniões da Direção e da Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol. Portanto o secretário-geral gere a máquina administrativa da Federação Portuguesa de Futebol. Pode comparar-se ao diretor-geral duma empresa comercial.

Em 1993 Paulo Lourenço começou a dar aulas de Fiscalidade e Direito Fiscal no ISCAL (Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa). Em 2003, a escassos meses do início do Euro 2004, suspendeu a atividade letiva, a qual foi retomada em 2005.

Entre 1993 e 1996 deu igualmente aulas de Fiscalidade na Academia Militar. A Fiscalidade é hoje assunto importante; também o é na formação de oficiais do exército que prestem serviço nas forças militarizadas, que têm de estar preparados para o combate ao crime económico.

De 1993 a 1997 deu aulas sobre IVA no IESF (Instituto de Estudos Superiores Financeiros e Fiscais).

Desde 2005, Paulo Lourenço tem dado aulas de Fiscalidade na UAL (Universidade Autónoma de Lisboa), onde também é diretor do departamento de desporto.

A partir de 2005, Paulo Lourenço exerceu a advocacia especializada em Fiscalidade.

Paulo Lourenço ficou sempre muito ligado a Mouriscas, que visita frequentemente. Fez teatro e jogou futebol no Grupo Recreativo e Desportivo “Os Esparteiros”. Fez parte do Gripo Etnográfico “Os Esparteiros”, tendo sido seu vocalista durante vários anos, em atuações por todo o país.

Em linhas gerais este é o percurso de vida de Paulo Lourenço. Teve oportunidades, que soube merecer e aproveitar. Tem sido uma vida com muito trabalho e estudo. Faz jus ao título deste artigo e do anterior: Paulo Lourenço - trabalho, mérito e sucesso.

 

 

* O administrador deste blogue agradece a Paulo Lourenço as informações fornecidas para redação deste artigo.