Quinta-feira, 24 de Fevereiro de 2005

Lápide na sede da banda

ESTE PRÉDIO FOI OFERECIDO PARA
A SEDE DA ASSOCIAÇÃO BANDA
FILARMÓNICA MOURISQUENSE
EM 13-7-1995 PELOS EXMOS.
SENHORES TEÓFILO LOPES ESTEVES
E SEUS FAMILIARES, DIGNÍSSIMOS
BENEMÉRITOS MOURISQUENSES
publicado por João Manuel Maia Alves às 17:08
link do post | comentar | favorito

Reportório da Banda Filarmónica Mourisquense

Músicas de Concerto


- PEQUENA MISCELÂNEA DE FOLCLORE DA BEIRA BAIXA
António Lourenço
- SELECÇÃO DE MÚSICA LIGEIRA
João Antunes
- MÚSICA POPULAR PORTUGUESA
João Antunes
- SELECÇÃO DE MARCHAS
Sílvio Pleno
- ISTO É CASCAIS
Francelino Lopes Pereira
- ROSA AMARELA
Francelino Lopes Pereira
- ANIVERSÁRIO (Marcha)
António Lourenço
- RAPSÓDIA SONHOS DE PORTUGAL
Arr.: A. Madureira da Silva
- NÃO SEI SE FOI ASSIM (Bolero)
Francelino Lopes Pereira
- TÃO SÓ FIQUEI (Bolero)
Francelino Lopes Pereira
- VISITA A POIARES
Relva Pereira
- STORI DI TUTTI I GIORNI (Pop Classico)
Maurizio Fabrizo/Arr. : André Waigneir
- RAPSÓDIA PORTUGUESA
João Antunes
- MOURISCAS (Fantasia)
António Lourenço
- DAMA DA CORTE (Abertura)
E.Luval
- 1989 (Marcha)
Amílcar Morais
- O DIA DA ESPIGA
António Lourenço
- AMORES DE PEDROGÃO (Marcha)
António Lourenço
- DR.CUNHA SIMÕES (Marcha)
Arnaldo da Fonseca
- MIMOSA (Marcha/Passo Doble)
- MATRIZ (Marcha)
José Maciel
- O LAGARTO
António Lourenço
- CAN’T HELP FALLING IN LOVE
Arr.: Larry Norred
- ZÉ MARIA (Marcha)
António Madureira da Silva
- FANDANGO FANTASY
Hans Van der Hiede
- RECUERDOS DE MÁLAGA (Marcha)
Miguel de Oliveira
- THE LION KING
Arr.: Ron Sebregts
- I WILL SURVIVE
Arr.: Ron Sebregts
- TAKE MY BREATH AWAY
Arr.: Afonso Alves
- LATIM TROMPETES
Wim Laseroms
- APACHE
Dordan Hautvast
- TWO FANFARES
Charles Michels
- DANCING IN A BEAT
Arr. : A. Pereira Alves
- VAMOS AO CIRCO
Arr.: A. Pereira Alves
- LISBOA SEMPRE A CANTAR
Arr.: A. Pereira Alves
- SELECÇÃO LUSO-BRASILEIRA
Sílvio Pleno
- HOMENAGEM A ZECA AFONSO
Arr.: Amílcar Morais
- EL REY DEL PASSO
Ray Lombrette
- ANTÓNIO NOGUEIRA (Marcha)
Ilídio Costa

Marchas Graves

- SANTA EUFÉMIA
J.Mineiro
- SANTA EUFÉMIA
António Lourenço
- NOSSA SENHORA DO BOM CAMINHO
António Lourenço
- SENHORA DO CABO
R.Louro
- GRAÇAS DO DIVINO ESPIRITO SANTO
Alberto Madureira da Silva
- SANTA CRUZ
António Lourenço
- MÃE DOS HOMENS
Fernando F.Costa



Marchas de Rua

- FERREIRA DO ZEZERE
António Lourenço
- ALBERTO
Francelino Lopes Pereira
- AMIGO CARLOS
João Antunes
- ALPEN MARCH
Robert Allmend
- REGRESSO
Francelino Lopes Pereira
- VIVA A PÁTRIA
- VINHO DO PORTO
Ilídio Costa
- MAÇANICO
Amadeu Almeida Horta
- HOMENAGEM À BANDA
Fernando Ferreira Costa
- SOFRIMENTO
Francisco Lopes Pereira
- LARDOSA EM FESTA
Francisco Lopes Pereira
- O PRESIDENTE
Carlos Marques
- PÔR-DO-SOL
Victor Sampaio
- MARCHA DO VAPOR
Manuel Dias Soares/Arr.: Relva Pereira
- MANUEL JOAQUIM ALMEIDA
Carlos Marques
- HOMENAGEM MANUEL AUGUSTO SALEIRO CRUZ
Valdemar Sequeira
- HINO DA BANDA FILARMÓNICA MOURISQUENSE
publicado por João Manuel Maia Alves às 17:06
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Fevereiro de 2005

Informação

Surgiu mais um blogue dedicado a Mouriscas. Mouriscas é exactamente o seu nome. O endereço é http://mour.blogs.sapo.pt. Desejamos-lhe longa vida. Oxalá surjam na Internet outras páginas relacionadas com Mouriscas. Por exemplo, quando é que alguém criará uma galeria de fotos de Mouriscas?
publicado por João Manuel Maia Alves às 17:12
link do post | comentar | favorito

Santanas (3)

Neste artigo continuamos a história dos Santanas com origem em Mouriscas, descendentes de António Ferreira Sant’ Anna, nascido, como vimos, em 1789, em Alagoa, freguesia do concelho de Portalegre.

António Ferreira Sant´Anna casa provavelmente em 1821, com 32 anos de idade, com Luiza Lopes, de 20 anos de idade.

Ele falece em 1875, no dia 10 de Janeiro, pelas 10 horas, com 85 anos de idade. Era já viúvo, desde 1870, ano em que faleceu sua esposa, no dia 22 de Janeiro, pelas 11 horas, com 68 anos de idade. Foram ambos sepultados no cemitério público de Mouriscas que, na altura, era no adro da igreja.

António Ferreira Sant´Anna era possuidor de muitos bens, à escala das Mouriscas evidentemente.

Quando morre Luiza Lopes, havendo herdeiros menores, o inventário de partilhas então obrigatoriamente lavrado, entre utensílios domésticos tais como louças, talheres, mobílias, toalhas e guardanapos, artigos em ouro, propriedades rústicas e urbanas e direito a rendas, então designadas por enfiteuse, consta de 26 páginas manuscritas.

Uma obra deixou em Mouriscas que todos conhecem - o memorial do Senhor dos Aflitos. Naqueles tempos tão perturbados, ao invocar a protecção divina, terá prometido fazer aquela construção.

Como todas, a vida deste casal, teve os seus bons e maus momentos. Filhos e noras que morrem novos. Filhos que chegam a padres ou médicos quando ainda nem comboios existiam. Filhos e filhas que casam bem. Filhos com fama de desonestos. Netos que aparecem. Houve de tudo.

Em 20 de Setembro de 1823 nasce a primeira filha a quem põem o nome da mãe, Luiza.

Em 14 de Janeiro de 1825 nasce o primeiro filho, baptizado com o nome de Joaquim.

Em 1827 nasce uma filha que foi baptizada com o nome de Maria, que falece.

Em 20 de Março de 1831 nasce uma filha baptizada com o nome de Tereza.

Em 17 de Novembro de 1832 nasce um filho baptizado com o nome de Severino.

Em 21 de Janeiro de 1835 nasce um filho baptizado com o nome de João.

Em 24 de Março de 1838 nasce uma filha a que dão nome de Maria.

Em 2 de Março de 1842 nasce um filho, baptizado com o nome de Francisco, que falece.

Finalmente em 4 de Abril de 1845 nasce o último filho, baptizado com o nome de José. Tinha António Ferreira Sant´Anna 55 anos de idade e Luiza Lopes 43.

Sem controlo de natalidade os filhos foram nascendo ao sabor da natureza, como era costume da época, com intervalos de dois ou três anos, que era o tempo da desmama. Dos nove que nasceram sete sobreviveram.

Tiveram as suas vidas, constituiram os ramos duma árvore que em próximos escritos iremos analisar.




Este artigo foi escrito por Augusto Maia Alves, descendente em sexto grau de António Ferreira Sant’ Anna.
publicado por João Manuel Maia Alves às 17:10
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2005

Historial da Banda Filarmónica Mourisquense

A Banda Filarmónica Mourisquense (nome actual), nasceu com a criação de uma Associação em 3/5/1995.

Antes do nome actual chamou-se: Escola e Banda de Música da Casa do Povo de Mouriscas.

A nossa Banda começou a dar os primeiros passos no início do ano de 1981, por iniciativa de dois amigos em conversa perfeitamente ocasional, mas que rapidamente ganhou vários adeptos para a criação de uma banda em Mouriscas, nomeadamente a Casa do Povo da altura e seus dirigentes que abraçaram a ideia.

De início foi criada uma escola de música que abriu logo com cerca de trinta aprendizes, sob a orientação e regência do maestro Sr. Francelino Lopes Pereira de Sardoal.

A escola de música que viria a dar origem a uma banda em Mouriscas, começou os primeiros ensaios, numa cave da nossa Igreja Paroquial, que foi cedida para o efeito pelo Sr. Padre João, pároco da Freguesia na altura.

Em finais de 1981 a escola de música tinha cerca de cinquenta alunos, tal era o entusiasmo, cujos níveis etários estavam compreendidos entre os oito e os sessenta e quatro anos.

No início de ano de 1982 e para haver Banda, era preciso haver instrumentos, e era preciso adquiri-los, mas não havia dinheiro e os dirigentes da altura, decidiram comprá-los a crédito.

A Banda teve a sua primeira actuação com 25 músicos, no dia 23 de Janeiro de 1983, na festa de São Sebastião, padroeiro da Freguesia.

Os recursos financeiros eram escassos e uma comissão de apoio à Banda e a direcção da Casa do Povo, tinham na altura um bom apoio da comunidade Mourisquense e decidiram fazer um peditório porta a porta, pela Freguesia com o objectivo de angariar fundos para satisfazer os encargos assumidos e comprar o fardamento. Com o produto deste peditório, com alguns serviços que a Banda começou a fazer fora de Mouriscas e a quotização dos primeiros sócios da Banda, foi possível pagar as dívidas e comprar o fardamento. Desde então a Escola de Música e Banda nunca mais pararam até hoje.

No início do ano de 1995 e por alteração do quadro legal das casas do povo, um grupo de sócios sentiu necessidade de criar e organizar uma nova associação de apoio à Banda a qual nasceu por escritura, feita no Cartório Notarial de Sardoal em 3 de Maio de 1995. A partir de Maio de 1995 a Associação actual, consegue criar património próprio. Havendo um benemérito Mourisquense que deu para a Banda um prédio, situado em Ferrarias-Mouriscas.

Desde a fundação da Associação a nossa Banda teve sempre entre 30 a 45 elementos. Tem actualmente 430 sócios.

Sobrevivemos actualmente com um pequeno subsídio que a Câmara Municipal de Abrantes nos tem concedido, em reconhecimento do nosso trabalho, mais as quotas dos sócios e donativos dos amigos da Banda, assim como dos trabalhos realizados pela Banda em festas populares, concertos, procissões e arruadas.

A Banda Filarmónica Mourisquense, tem uma Associação devidamente legalizada a apoiá-la em tudo o que é preciso e os seus dirigentes gerem os seus destinos a título gratuito.

A Banda é dirigida Tecnicamente pelo Sr. Maestro Diamantino Godinho.

Mouriscas , 22 de Janeiro de 2005.



A DIRECÇÃO
publicado por João Manuel Maia Alves às 09:11
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26

28
29
30
31


.posts recentes

. Eng. Bento Dias - Trabalh...

. Casamentos à moda antiga ...

. Casamentos à moda antiga ...

. Casamentos à moda antiga

. Alcino Serras - atleta d...

. Paulo Lourenço – trabalho...

. Paulo Lourenço – trabalho...

. Major-general médico Carl...

. Curioso costume

. Notícia de 1901

.arquivos

. Janeiro 2018

. Junho 2016

. Maio 2016

. Maio 2014

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds