Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

O apelido Esparteiro

26.08.04 | João Manuel Maia Alves
O apelido Esparteiro faz parte do nome de muitos mourisquenses e descendentes de mourisquenses. Qual a sua origem?

Tudo começou com Manoel Marques. Ainda no século XIX este mourisquense dedicou-se ao fabrico de seiras e capachos para lagares de azeite, arte que teria aprendido na vizinha freguesia de Valhascos.

Pessoas que fabricam artigos de esparto, como é o caso das seiras e capachos, são chamadas esparteiros. Por isso, Manoel Marques passou a ser conhecido e tratado por “Mestre Esparteiro”. Ele passou a usar o nome Manoel Marques Esparteiro. Nos registos de nascimento de alguns netos é esse o nome por que é referido.

Manoel Marques era filho de João Marques e de Maria Lourença. Casou com Felícia da Conceição, filha de Manoel Marques e de Ana da Conceição.

Manoel Marques e Felícia da Conceção viveram no Casal Pita e tiveram oito filhos, com os nomes e datas de nascimento seguintes: Luiz (1868), Manoel (1870), João (1871), Francisca (1873), Joana (1876), José (1878), Joaquim (1881) e Maria (1889). Já encontrámos o filho Luiz no artigo “Gente ilustre”.

Seguindo o exemplo de Manoel Marques, muitas outras pessoas em Mouriscas criaram espartarias ou seja oficinas de fabrico de seiras e capachos. Mouriscas tornou-se uma terra de esparteiros. Não admira, por isso, que tenham surgido em Mouriscas o “Grupo Desportivo e Recreativo ‘Os Esparteiros’” e o “Grupo Etnográfico ‘Os Esparteiros’”. Aqui temos bons temas para próximos artigos.

O apelido Esparteiro chegou longe em Portugal e no mundo.

Alguns descendentes de Manoel Marques, como o seu filho José Esparteiro Júnior e o seu neto Miguel Marques Esparteiro, também se dedicaram ao fabrico de seiras. Tiveram clientes em todo o país, aonde levaram o apelido Esparteiro; também levaram o nome de Mouriscas.

Entre os descendentes de Manoel Marques encontram-se pessoas ligadas à Marinha, ao Exército, à Medicina, à Engenharia, à actividade bancária. Graças a eles o apelido Esparteiro chegou a altos postos das forças armadas, à Escola Naval, ao Instituto Naval Superior de Guerra, à Sociedade de Geografia, ao Museu da Marinha, à Universidade de Coimbra, à Embaixada de Portugal nos Estados Unidos, a escolas navais inglesas, à Caixa Geral de Depósitos e a outros lugares de prestígio.

O apelido Esparteiro chegou a Macau onde foi dada a uma avenida a designação de Almirante Joaquim Marques Esparteiro, nome dum governador do território que era neto de Manoel Marques. Ainda no território de Macau, mais concretamente na ilha da Taipa, existe o Jardim-Miradouro Drª Laurinda Marques Esparteiro. Inaugurado em 1955, este jardim muito procurado para fotografias turísticas e de casamento, homenageia a Drª Laurinda dos Santos Calvinho Marques Esparteiro, que acompanhou o seu marido, o Almirante Esparteiro, na sua passagem por Macau.

O apelido Esparteiro chegou bem longe. Chegou a Macau, à Índia, a Angola, a Moçambique, a Cabo Verde, ao Brasil, a Hong Kong e a outros sítios mais.

O apelido Esparteiro é nome de autores de obras de Marinharia (incluindo dicionários, um deles recentemente reeditado), de Química, de História e de Matemática graças a descendentes de Manoel Marques. É também nome de descendentes de Manoel Marques mencionados na Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira.

O apelido Esparteiro é hoje familiar a milhões de pessoas graças ao actor Luís Esparteiro, descendente em quarto grau de Manoel Marques.

Não imaginava Manoel Marques as consequências de se dedicar à espartaria! O apelido Esparteiro a que deu origem iria projectar-se em Portugal e no mundo.

Manoel Marques - um mourisquense que merece ser conhecido e recordado!



Na redacção deste artigo socorremo-nos de:

- Dados dos arquivos paroquiais de Mouriscas disponibilizados em ficheiro informático por Augusto Maia Alves

-Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira

-Informações de Arlindo Marques Esparteiro, bisneto de Manoel Marques, a quem manifestamos o nosso agradecimento

-Informações dadas num programa de rádio dedicado a Mouriscas difundido há
muitos anos

- Páginas da Internet com os endereços seguintes:

http://www.iacm.gov.mo/taipa/ilhas_p/j_laurinda_p.html

http://www.cityguide.gov.mo/tg/garden/
g_detailp.asp?lc=0&lkey=02012000000000000000

http://www.marinha.pt/Marinha/PT/
Menu/DescobrirMarinha/Actividade/
AreaCultural/academia/edicoes/
academia_edicoes_dicionarios_marinha.htm

http://www.google.pt/search?q=cache:EqK0ry6mvqcJ:
www.terravista.pt/Mussulo/2386/
biblio.htm+esparteiro&hl=pt-PT