Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

António Marques Esparteiro, dicionarista mourisquense

18.08.04 | João Manuel Maia Alves

De muita coisa se pode gabar Mouriscas, até de ter visto nascer um autor de dicionários. O dicionarista foi o Comandante António Marques Esparteiro, nascido em 1898, nos Engarnais Cimeiros, em Mouriscas, e falecido em 1976. Os seus dicionários constam de termos de Marinharia.

Neste artigo falaremos um pouco dos dicionários. Um outro será reservado a notas biográficas do Comandante António Marques Esparteiro e de sua ilustre família.

 

Ant_m_esparteiro.JPG António Marques Esparteiro

 
No já longínquo ano de 1936, o então Primeiro-Tenente António Marques Esparteiro publicou o “Dicionário Ilustrado de Marinharia”. De realçar que a obra foi prefaciada pelo grande linguista que foi o Prof. Leite de Vasconcelos.

O anterior dicionário dedicado à Marinharia tinha sido editado em 1855 e intitulava-se “Novo Dicionário da Marinha de Guerra e Mercante”. Foi seu autor António Gregório de Freitas.

Em 1943 surgiu a segunda edição do dicionário do ilustre mourisquense, na altura Capitão-Tenente. Vemos aqui a capa dessa edição..

dic 1943.jpg

 Em 1962 o então Comandante Marques Esparteiro publicou um trabalho muito mais completo e atualizado que o anterior, tendo então triplicado as respetivas entradas. Foi o “Dicionário Ilustrado de Marinha”.


Entretanto os anos passaram, a obra esgotou, muita coisa se alterou e a Marinha, nos finais dos anos 90, entendeu que seria conveniente publicar uma nova edição do “Dicionário”, obrigatoriamente revista e atualizada.

A revisão e atualização foram efetuadas pelo Comandante Martins e Silva, grande autoridade no domínio da Marinharia. A nova versão do dicionário, com 594 páginas, surgiu em finais de 2001. Vemos aqui a capa.

dicionario ant marq espart.jpg

 Em conjunto com o editor – - a Clássica Editora - foi acordado que se alteraria apenas o que manifestamente tivesse de ser atualizado e seriam corrigidas as inevitáveis “gralhas” que tivessem escapado à revisão.


Foram feitas 562 correções e 803 atualizações, o que não é excessivo pois significa que apenas 8% do total das entradas do “Dicionário” sofreu alterações, facto que atesta bem o mérito da obra do Comandante Esparteiro.

António Marques Esparteiro foi também autor de outros dois dicionários: o “Dicionário de Marinha Português - Inglês” e o “Dictionary of Naval Terms English – Portuguese. Ambas as obras foram editadas nos meados dos anos 70 pelo Centro de Estudos de Marinha. O primeiro destes dicionários tem 285 páginas e o segundo 345.

dic.jpg

 O comandante Esparteiro foi casado com uma inglesa, facto muito comentado noutros tempos pelos mourisquenses, que não a entendiam e que, com certeza, estranhariam o seu aspeto numa terra de rústicos rostos morenos. Até que ponto este casamento terá contribuído para a existência e para a redação destas duas últimas obras? 


Na redação deste artigo socorremo-nos da Revista da Armada de Janeiro de 2002 e de informação encontrada na Internet.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.