Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

MOURISCAS - TERRAS E GENTES

Criado em 2004 para falar de Mouriscas e das suas gentes. Muitos artigos foram transferidos doutro espaço. Podem ter desaparecido parágrafos ou espaços entre palavras, mas, em geral, os conteúdos serão legíveis e compreensíveis.

Carlos Lopes Bento

04.05.05 | João Manuel Maia Alves

 

carlos_bento.jpg

 Carlos Lopes Bento tem escrito alguns dos melhores artigos publicados neste blogue. Justo é, por isso, que um artigo lhe seja dedicado.

Carlos Lopes Bento nasceu em 2 de Abril de 1933 em Mouriscas, no Lugar das Casas Pretas. Foram seus pais David Lopes Mestre e Elisa Alves Bento.

O pai, filho e neto de moleiros, aprendeu a arte de carpinteiro e nesta profissão trabalhou quase duas dezenas de anos, na empresa Duarte Ferreira & Filhos, de Tramagal. Deixou a empresa para, entre 1940 e 1950, ser moleiro,. Finalmente, face à decadência desta profissão, dedicou-se à agricultura, por conta própria, até à década de 1980.

A mãe já foi referida neste blogue como uma das grandes mestras de costura do passado.

O jovem Carlos Bento, entre os 11 e 15 anos, ajudou os pais na agricultura e no moinho de água, aprendendo as principais técnicas ligadas às duas artes, ajuda que continuou a partir daquela última idade, altura em que pai o matriculou no Colégio.

Fez a 4ª classe na Escola Primária de Mouriscas, tendo como mestre o Ilustre mourisquense Professor Matias Lopes Raposo e o exame de admissão, o 2ºe o 5º anos do liceu no Colégio Infante de Sagres, igualmente em Mouriscas. Depois rumou a Castelo Branco, onde, no Instituto de Santo António, fez o 7º ano liceal.

Tem a seguinte formação de nível universitário:

- Doutorado em Ciências Sociais - Especialidade História dos Factos Sociais, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa
-.Licenciado em Ciências Antropológicas e Etnológicas pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa.
- Diplomado com o Curso Superior de Administração Ultramarina pelo antigo Instituto Superior de Estudos Ultramarinos, na altura dirigido pelo conhecido Prof. Adriano Moreira, que foi um dos seus mestres.

Entre 1954 e 1960 foi oficial miliciano e estudante ao mesmo tempo.

No começo de 1961, depois de terminar o curso de administração ultramarina, rumou a Moçambique acompanhado da família, de que faziam parte Maria Augusta Lopes Alves, professora do ensino primário, com quem tinha casado em 1958, e dois filhos de tenra idade, a Isabel Maria e o Fernando Manuel.

Manteve-se até 1974 em Moçambique, onde desempenhou funções de chefia no Quadro Administrativo e realizou trabalho de campo entre os povos makhwa de Murrupula e Mogincual, makonde de Mueda e mwani das Ilhas de Querimba e Porto Amélia, actualmente Pemba. Em Moçambique nasceu-lhe mais uma filha, a segunda, a Elisa do Rosário.

Terminada a sua carreira africana Carlos Lopes Bento não parou. Voltou aos estudos e completou a licenciatura. Iniciou também em 1980 uma carreira docente nas Universidades Livre e Internacional e no Instituto Superior Politécnico Internacional, sendo actualmente professor catedrático convidado e presidente do Conselho Científico do dito Instituto. Concluiu o seu doutoramento em 1994, com 61 anos de idade.

Para além da orientação de vários trabalhos finais de licenciatura, leccionou Antropologia Cultural, Comportamento Organizacional e Metodologia da Investigação, nas licenciaturas bietápicas de Gestão Turística e Hoteleira e de Gestão Bancária e Seguradora. Desempenha ou desempenhou também as seguintes funções:

- Responsável pela coordenação de Estágios Profissionais e director do Centro de Investigação Aplicada em Gestão Hoteleira e Turística
- Membro da Sociedade de Geografia de Lisboa, - onde exerceu cargos de direcção, nas secções de Etnografia, Antropologia e História, sendo desde de 2000 director da mesma Sociedade- , e de vários centros de investigação ligados a África, onde tem apresentado dezenas de Comunicações
- Investigador em vários projectos de natureza sócio-politíca e de desenvolvimento em todo o Continente e Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, designadamente, " A Reconversão da Pesca Artesanal, entre os rios Tejo e Sado- Aspectos Humanos", comparticipado pela JNICT.
- Presidente do Conselho Fiscal da ACATIM e da ADIMO.
- Foi o investigador responsável pelo projecto de I&D, em fase de publicação: Gastronomia Tradicional e Cultura no Processo de Mudança na Área do Pinhal, que abrange 10 concelhos.
- Participação em muitas dezenas de eventos científicos ligados à temática africana, do turismo, da etnografia e da antropologia.

Não esqueceu a África – será possível esquecê-la quem a conheceu? Interessa-se pela Antropologia Africana - ritos de passagem, alimentação e contactos de cultura - e pelos problemas relacionados com a mudança em comunidades rurais e piscatórias e em organizações empresariais, particularmente, turísticas e hoteleiras.


---PUBLICAÇÕES---

Entre a múltipla colaboração dispersa por livros e publicações periódicas (boletins, revistas e jornais), realçam-se os seguintes artigos publicados:

1980 – "Problemas Eco-Sociais e a Reconversão da Pesca Artesanal";
1982 - "O Trabalho de Campo na Antropologia e o Desenvolvimento";
1984 - "O Desenvolvimento das Pescas nas Costas do Algarve-Achegas para o Estudo do seu Passado";
1984 - " A Historiografia e a Antropologia em África",
1985 - "Moinhos e Azenhas em Mouriscas";
1986 - " As Potencialidades das Fontes Históricas na Pesquisa Antropológica",
1984 -"O Contributo do Estudo das Práticas Culinárias para um Melhor Conhecimento das Migrações Humanas e dos Fenómenos da Difusão, Mudança e Evolução Culturais - A caso específico da cozinha entre os Wamwani das Ilhas de Querimba / Moçambique;
1986 - "O Desenvolvimento das Pescas nas Costas do Algarve-Achegas para o Estudo do seu Passado. Breves Considerações Finais";
1987 - "A Pesca do rio Tejo. Os Avieiros: Que Padrões de Cultura? Que Factores de Mudança Sócio-Cultural? Que Futuro?";
1988 - "O Desenvolvimento das Pescas nas Costas do Algarve-Achegas para o Estudo do seu Passado.- Ambiente, Tecnologia e Qualidade de Vida";
1989 - "A posição Geopolítica e estratégica das ilhas da Querimba. As fortificações de alguns dos seus portos de escala"(sec. XVI a XIX).
1991 - " As Companhas de Ceifeiros Ribatejanos no Alto Alentejo- Uma Forma de Organização Social Extinta";
1991 - " O 1º Pré-censo de Moçambique- A Relação Geral de População de 1798 das Ilhas de Querimba ou de Cabo Delgado";
1992 - "Uma Experiência de Desenvolvimento Comunitário na Ilha do Ibo/Moçambique entre 1969 e 1972;
1997 - "Os Prazos da Coroa nas Ilhas de Querimba e a sua Importância na Consolidação do Domínio Colonial Português";
1999 - "A Administração Colonial Portuguesa em Moçambique- Um Comando Militar em Mogincual, entre 1886 e 1921".
2000 - "A Situação Colonial nas Ilhas de Querimba ou de Cabo Delgado: Senhorios, Mercadores e Escravos( 1742-1822) " in Estudos de Desenvolvimento. África em Transição. Anuário do CeSA- Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento, ISEG.”
2000.- “Contactos de Cultura Pós-Gâmicos na Costa Oriental de África. O estudo de um caso concreto.” In Estudos Políticos e Sociais, ISCSP, Lisboa, 2000, p.p.119-126. “
2001 - “Ambiente, Cultura e Navegação nas Ilhas de Querimba- Embarcações, Marinheiros e Artes de Navegar” in Boletim da S.G.L., Série 119ª- Nºs 1-12, Janeiro-Dezembro-2001, p. 83-121.
2001 - -“A Ilha do Ibo: Gentes e Culturas- Ritos de passagem” in Separata de Estudos Políticos e Sociais, ISCSP, 2001, Vol. XXIII, nºs 1-4, Lisboa, 2001, p. 121- 167.
2002- “Mouriscas: Terra Pobre, Gente Nobre”
2003- “A Antropologia da Alimentação em Portugal. Um Estudo Concreto”.
2003- “A Cozinha Tradicional na Área do Pinhal e o Desenvolvimento Regional. O Maranho como Prato Emblemático num Processo de Mudança”
2004- “ A Possessão em Moçambique. O Curandeiro N´kanga entre o Wamwani do Ibo”.
2004- “ As Ilhas de Querimba em Imagens”
2004- “ O Porto dos Cascalhos”. Publicado neste blogue “Mouriscas – Terra e Gentes” (http://motg.blogs.sapo.pt)
2004- “Os 100 Anos da Tia Joana”. Publicado neste blogue “Mouriscas – Terra e Gentes “(http://motg.blogs.sapo.pt)
2004- “ As Mouriscas em Meados do Século XX”. Publicado neste blogue “Mouriscas – Terra e Gentes” (http://motg.blogs.sapo.pt)
2005- “A Situação Colonial nas Ilhas de Querimba ou de Cabo Delgado. Situação Colonial, Resistências e Mudança.(1742-1822)”. 1993. 2 Vols. Tese de doutoramento publicada em: http://geocities.yahoo.com.br/quirimbaspemba/final.htm.
2005- “A Antroponímia Mourisquense, entre 1860 e 1910”, em publicação neste blogue “Mouriscas – Terra e Gentes” (
http://motg.blogs.sapo.pt)
É assim, em termos gerais, a biografia do Prof. Carlos Lopes Bento, que serve, também para justamente homenagear este mourisquense ilustre que antes de sair de Mouriscas, nas costa oriental de África ou depois do regresso de Moçambique sempre levou uma vida plena de actividade e de curiosidade intelectual em comunhão com outros – bem ao jeito de muitos mourisquenses. Este blogue agradece-lhe a colaboração que lhe tem prestado e conta com novos artigos palpipantes de interesse.