Terça-feira, 29 de Maio de 2012

Notícia de 1901

O jornal Echo do Tejo, que se publicou em Alvega, deu na sua edição de 10/2/1901 uma notícia em que se fala de José Ferreira Santana, um mourisquense ilustre dos séculos XIX e XX. No artigo é apelidado de "o mais illustre de todos os nossos patricios". Como se trata de pessoa que merece ser conhecida dos mourisquenses de hoje, reproduz-se aqui esse artigo, com a manutenção da ortografia, que quase não usava acentos.

As fotografias foram acrescentadas, bem como algumas notas sobre José Ferreira Santana e outras consideradas necessárias à boa compreensão do artigo.

 

Mouriscas

A commissão executiva constituida para levar a efeito a construcção d'uma egreja n'esta freguezia é composta dos seguintes ca­valheiros: Dr. José Ferrei­ra Sant’ Anna (1), presidente; José Maria Lourenço, vice-presidente; P.e Henrique d' 0liveira Neves (2), secreta­rio; Victorino Augusto, thesoureiro e vários vogaes.

O nosso illustre patrício dr. Sant’Anna volta bre­vemente a esta freguezia, hospedando-se, ao que se nos consta, em casa do seu sobrinho e afilhado Angelo Lourenço de Sant’Anna. Alguma cousa se tem dito contra o nosso benemerito patricio, affirmando-se que sua Ex.ª quer fazer politica com as suas offertas. Não sabe­mos se é verdadeiro tal boato, mas se o for, aben­çoada politica, que fructifica tão generosamente a favor do engrandecimento d'esta freguezia tão despresada pelos poderes pu­blicos. O melhoramento mais importante feito em nossa vida nas Mouriscas foi a casa da residencia parochial, devida aos es­forços e zelo do Sr. Commendador Symphoriano Pólo, onde se gastaram 430$000 réis, quantia muito inferior á offerecida de uma só vez pelo nosso patricio.

 

José Ferreira Santana

 

Convencidos estamos de que sua Ex.ª pos­suidor d'uma avultada for­tuna e d'uma posição in­dependente, pouco se im­portará com a política; mas se o seu fim for polí­tico, posso asseverar que n'esta freguezia alguma coisa fará, não só pela sua generosidade, mas porque a sua parentella é numerosa. e porque é o mais illustre de todos os nossos patrícios. O que com se­gurança podemos desmen­tir é que:sua ex.ª se mos­tre hostil ao antigo depu­tado por este circulo e actual par do reino o sr. Avellar Machado (3), e até em varias conversações que teve comnosco, mostrou sempre grande sympathia por tão prestante cavalhei­ro. Lastimamos que hou­vesse quem empregasse o seu tempo trabalhando pa­ra levantar discórdias, o que certamente não conseguiu, porque o Sr. Sant’Anna continua mere­cendo a amisade do Sr. Avellar Machado e as sympathias dos nossos patri­cios.

 

Avelar Machado



 NOTAS

(1)  José Ferreira Santana

José Ferreira Santana (1845-1825), nasceu na Quinta de S. António, no Tojal, Mouriscas, sendo filho de António Ferreira Santana (1789-1875), de Alagoa, Portalegre, e de Luísa Lopes (aprox. 1801 – 1870), da Cabeça de Alconde, hoje pertencente à freguesia de Alferrarede. António Ferreira Santana foi almocreve e deu origem à família Santana, hoje dispersa por toda a freguesia de Mouriscas e muitas outras localidades. Deve-se-lhe a construção em Mouriscas do memorial do Senhor dos Aflitos.

José Ferreira Santana foi médico, comendador e homem muito culto, elegante e viajado. Casou com uma senhora de Carnide muito abastada, vivendo num palácio dessa localidade, situado na Rua da Fonte, que foi conhecido por Palácio do Dr. Santana. Muito amigo da família, em sua casa se alojaram, enquanto estudantes, vários sobrinhos, a quem proporcionou proteção e formação que lhes permitiu ocuparem lugares de relevo. Depois de enviuvar, viveu em Alvega, onde foi pároco o irmão Padre Severino Ferreira Santana e para onde também casaram duas sobrinhas criadas pelo Padre Severino. Em Alvega construiu um palacete acastelado, com uma Santa Ana na esquina, junto à igreja matriz.

O Padre Severino Ferreira Santana, irmão de José Ferreira Santana, também foi um homem notável e figura importante do passado mourisquense. Foi-lhe dedicado um artigo em http://motg.no.sapo.pt/p14.htm.

(2) P.e Henrique d' 0liveira Neves

O P.e Henrique d' 0liveira Neves ficou célebre na história de Mouriscas. Implantada a república, em 1911, aceitou uma pensão do estado, contra a vontade da sua hierarquia, que o excomungou. A sua recusa em abandonar a igreja matriz, onde continuou a exercer as suas funções, levou a um longo conflito político-religioso, sobre o qual se pode ler um artigo em http://motg.blogs.sapo.pt/26306.html.

(3) Avelar Machado

José Alves Pimenta de Avelar Machado (1848-1909), nascido no Rossio ao Sul do Tejo, destacou-se  pela sua intervenção política. General de Engenharia, representou Abrantes como deputado do Partido Regenerador durante quase vinte anos.  Foi também par do reino. Os pares do reino formavam uma segunda câmara legislativa, sendo nomeados ou eleitos indiretamente.

Graças a Avelar Machado,  Abrantes obteve o abastecimento de água potável, através de uma central considerada das mais potentes até então. A construção da maior parte dos edifícios escolares do concelho, de estradas reais e municipais e a criação de estações telégrafo-postais fazem parte da vasta iniciativa de Avelar Machado.  Em sua homenagem foi erigido um monumento na Praça Barão da Batalha, em Abrantes.

publicado por João Manuel Maia Alves às 17:38
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Casamentos à moda antiga ...

. Casamentos à moda antiga ...

. Casamentos à moda antiga

. Alcino Serras - atleta d...

. Paulo Lourenço – trabalho...

. Paulo Lourenço – trabalho...

. Major-general médico Carl...

. Curioso costume

. Notícia de 1901

. Chuva de estrelas nas fes...

.arquivos

. Junho 2016

. Maio 2016

. Maio 2014

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds