Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005

Orlando Dias Agudo

clip_image001.jpgOrlando Dias Agudo é um mourisquense com uma brilhante e longa carreira na comunicação social. Das pessoas nascidas em Mouriscas é, com certeza, a que mais conhecida se tornou. Natural é, portanto, que lhe dediquemos um artigo. Orlando Dias Agudo nasceu em Mouriscas, no lugar de Ferrarias. Foram seus pais Leonel Dias Agudo, ferroviário, e Maria de Matos Roldão, doméstica, sendo o terceiro de quatro irmãos que revelaram notáveis capacidades. Fez a sua escola primária em Lisboa até à 3ª classe, tendo depois ido para o Colégio Infante de Sagres em Mouriscas, onde o Professor Matias Lopes Raposo o “obrigou” a entender bem a língua portuguesa. Ele refere, quando instado a comentar o que foi que aprendeu no Colégio de Mouriscas, que quando ali começou o ano, dava regularmente quarenta ou mais erros nos ditados. Depois das férias do Natal raramente cometia um. Fez exame da 4ª Classe em Abrantes e a “admissão” aos liceus já em Lisboa.Foi aluno do D. João de Castro e do Gil Vicente, em LisboaO falecido jornalista desportivo Carlos Pinhão dizia que na sua escola havia os alunos bons em contas e os que eram bons em redacções. Orlando Dias Agudo pertencia a esta última categoria. O seu gosto pela escrita iria abrir-lhe a porta do jornalismo. No liceu, o seu professor de educação física, conhecedor da sua aptidão e gosto para escrever, perguntou-lhe se queria colaborar com o jornal desportivo Record, então trissemanário e hoje diário. Orlando Dias Agudo aceitou. Então o professor estabeleceu contacto com o director do Record, Fernando Ferreira e, assim, se iniciou Orlando Dias Agudo nas lides jornalísticas.No Record Orlando Dias Agudo começou por fazer a cobertura das actividades desportivas da Mocidade Portuguesa, dessa maneira aliviando o fardo de Guita Júnior, jornalista do jornal que tinha a seu cargo várias modalidades desportivas. O editor do jornal era José Monteiro Poças, um dos fundadores e mais tarde director do Record. Ele apreciava o trabalho de Orlando Dias Agudo e, por isso, começou a atribuir-lhe outros serviços que o nosso biografado cumpria a rigor só para ver o seu nome impresso no corpo do jornal.Vejamos agora como a rádio entrou na vida da Orlando Dias Agudo para lhe proporcionar um enorme sucesso e para o tornar uma figura de projecção nacional.Nos anos 40, 50 e 60 do século passado a rádio desempenhava um papel muito importante na vida das pessoas que tinham o que, muitas vezes, se chamava uma telefonia. Não era o caso de muitos em Mouriscas, onde a electricidade chegou já depois de 1956. Mas os pais de Orlando Dias Agudo viviam em Lisboa, onde o pai era ferroviário, e tinham um rádio onde Orlando Dias Agudo ouvia os programas, os artistas e os locutores da sua preferência. Assim, nasceu o gosto de Orlando Dias Agudo pela rádio. Nesses tempos os locutores de rádio gozavam de grande popularidade.Existiu em Portugal uma estação de rádio que formou grandes profissionais que singraram depois noutras estações. O seu nome era Rádio Universidade. Transmitia à volta de uma hora por dia na frequência do que é agora a Antena 2 da Radiodifusão Portuguesa, aumentando o tempo de emissão ao fim de semana. Na Rádio Universidade Orlando Dias Agudo adquiriu muitos conhecimentos e alguns “segredos” desse meio de comunicação que é a rádio.Nos anos 50 ia para o ar, através das ondas do Rádio Clube Português, um programa que marcou uma época no panorama radiofónico português. Era o “Talismã”, do produtor independente Gilberto Cotta. “Talismã, o programa que fica no tempo que passa” era o slogan do programa. O Rádio Clube Português era uma estação privada com emissões que chegavam a quase todo o país. Gilberto Cotta convidou Orlando Dias Agudo para seu assistente de produção. Aceitou e, assim, iniciou a sua segunda experiência na rádio, sem deixar de escrever para o Record. Mais tarde o Rádio Clube Português convidou Orlando Dias Agudo para fazer parte dos seus quadros, também como assistente de produção. Orlando Dias Agudo permaneceu vários anos do Rádio Clube Português. O seu nome e a sua excelente voz tornaram-se conhecidos em todo o país.Depois do jornalismo e da rádio, a televisão haveria de entrar na vida de Orlando Dias Agudo. Isso aconteceu pela mão do falecido e saudoso Adriano Cerqueira, que convidou Orlando Dias Agudo para a sua equipa na RTP, mas para isso teria de deixar a rádio. Orlando Dias Agudo aceitou sem hesitar e, assim, começou uma carreira televisiva de vários anos.Na RTP Orlando Dias Agudo fez de tudo um pouco, desde repórter a editor, passando por apresentador de quase todos os programas desportivos. A sua projecção tornou-se ainda maior.Orlando Dias Agudo teve uma carreira brilhante, cheia de encanto e aventura, com muitas viagens, repleta de êxitos. Tornou-se conhecido e apreciado. Proporcionou momentos de prazer a milhões de pessoas. Atingiu uma notoriedade só ao alcance das grandes vedetas. Merece, por isso, que seja recordada ou conhecida, mesmo que em traços gerais, a sua carreira. Orlando Dias Agudo sempre manteve uma forte ligação a Mouriscas, sua terra natal, onde passa bastante tempo. Muita gente ainda se lembrará da sua participação na apresentação de grandes artistas nos grandiosos festejos de verão dos anos 50 e 60. Essa é outra razão para esta homenagem.
publicado por João Manuel Maia Alves às 18:15
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.posts recentes

. Casamentos à moda antiga ...

. Casamentos à moda antiga ...

. Casamentos à moda antiga

. Alcino Serras - atleta d...

. Paulo Lourenço – trabalho...

. Paulo Lourenço – trabalho...

. Major-general médico Carl...

. Curioso costume

. Notícia de 1901

. Chuva de estrelas nas fes...

.arquivos

. Junho 2016

. Maio 2016

. Maio 2014

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds